Translate

Etiquetas

quinta-feira, 20 de julho de 2017

O que é a diabetes?

Todas as pessoas têm um órgão chamado pâncreas que, entre muitas outras funções, segrega uma hormona chamada insulina. Esta tem como função baixar o nível de açúcar no sangue, pelo que é produzida quando ele se eleva (depois de uma refeição, por exemplo). Sempre que este mecanismo está comprometido, os níveis de açúcar no sangue deixam de estar controlados e a essa situação chama-se diabetes. Existem dois tipos desta doença:
1 – diabetes tipo 1 – o pâncreas não produz uma quantidade suficiente de insulina
2 – diabetes tipo 2 – o organismo não consegue utilizar a insulina que produz
A diabetes tipo 1 é, de longe, a mais frequente em pediatria. Trata-se de uma doença auto-imune, ou seja, em que o organismo reconhece como estranhas algumas das suas células e «luta» contra elas, acabando por destruí-las. Neste caso, as células do pâncreas responsáveis pela produção de insulina são eliminadas, o que faz com que não consiga produzir essa hormona e ase cumule açúcar no sangue. Os sintomas clássicos são o emagrecimento, a sede e urinar muito (várias vezes e muita quantidade), mas muitas vezes a doença só se descobre ao estudar um coma que surgiu sem se saber muito bem o motivo. A diabetes tipo 2 está a tornar-se mais comum em crianças e jovens, uma vez que está associada, geralmente, à obesidade. Nesta situação o pâncreas produz insulina, mas o organismo torna-se incapaz de a utilizar corretamente. 
O diagnóstico destas situações assenta essencialmente na medição do açúcar no sangue. Isso pode ser realizado através de uma pequena picada no dedo, mas a análise mais fiável é sempre quando o sangue é colhido de forma tradicional, através de uma veia. 
A diabetes tipo 1 trata-se através da administração de insulina, seja sob a forma injectável na altura das refeições, seja através de uma bomba de insulina, que permite a administração mais estável ao longo do dia, sem a criança/jovem se ter que “picar” todas as vezes. Já em relação à diabetes tipo 2, o tratamento passa pela perda de peso e medicamentos que tentam fazer com que o organismo consiga utilizar mais adequadamente a insulina. Em ambos os tipos, o tratamento farmacológico deve sempre ser complementado com dois outros muito importantes, a alimentação e o exercício físico. Sem eles não é possível estabilizar os níveis de açúcar, o que vai levar a problemas em diferentes partes do organismo: cérebro, olhos, coração e rins, entre outros. 

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Quando e como se deve tirar a fralda às crianças?

O desfralde é sempre um momento ansiado pelos pais e que, se for feito com tranquilidade, corre bem na esmagadora maioria dos casos.
No entanto, as dúvidas sobre quando e como iniciar este processo são sempre muitas. É um assunto importante é que foi o tema da minha participação no Filhos e Cadilhos da semana passada. Se não viu, pode fazê-lo clicando aqui.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Água "fervida" para as cólicas - é boa opção?

Existe muito a ideia de que dar um pouco de água fervida pode ajudar nas cólicas dos bebés. Nenhum estudo comprova este tipo de relação, pois é questionável qual o papel que, de facto, a água fervida possa ter no choro e no desconforto presente nessas situações. Pode realmente acalmá-lo se tiver sede ou então pelo contacto físico enquanto se lhe dá a água, mas é pouco provável que aconteça algo mais.
No entanto, é algo completamente inócuo e desprovido de efeitos laterais, pelo que não me parece errado que os pais testem, se assim pretenderem. A probabilidade de sucesso é muito baixa, porque provavelmente o seu efeito é “nenhum”, mas não há problema em experimentar. O único cuidado a ter é não dar um grande volume de água, para não interferir com a quantidade de leite que o bebé deve ingerir.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Birras - até que ponto serão normais?

No passado sábado estive, como habitualmente, no programa Filhos e Cadilhos do Porto Canal.
Desta vez tive a companhia da psicóloga Maria Andresen e estivemos a falar sobre birras.
A partir de que idade surgem?
Serão normais ou falta de educação?
O que fazer numa birra?
Estas são apenas algumas das questões que abordamos. Se não viu, pode fazê-lo clicando aqui.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Deixem as crianças ser crianças!

No passado dia 30 de Junho tive o privilégio de participar num seminário organizado pela Câmara Municipal de Esposende, cujo título era "Brincar é coisa séria".
Partilhei uma mesa redonda com o Professor Eduardo Sá e foi uma experiência muito enriquecedora, onde pudemos partilhar um pouco da nossa visão sobre a importância do "brincar".
A Dra. Helena Gatinho, editora da revista Pais e Filhos também esteve presente e escreveu um artigo que resume algumas das intervenções desse seminário. Se não o leu, aconselho a fazê-lo clicando aqui.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Acidentes - o que fazer?

Com a chegada do bom tempo as crianças expõem-se mais a alguns riscos e, consequentemente, aumenta a probabilidade de surgir algum acidente.
A maior parte deles são evitáveis se pensarmos que podem acontecer, pelo que é importante reflectir um pouco sobre esse assunto.
Ontem estive no Porto Canal, no programa "Consultório" e foi precisamente esse o tema da nossa conversa.
Se não viu, pode fazê-lo clicando aqui.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Sol e crianças - que cuidados a ter?

Com a chegada do bom tempo, convém sempre reforçar quais os cuidados a ter para se poder usufruir de uma exposição solar agradável e segura.
Foi esse o tema que escolhi para o meu texto deste mês da revista visão.
Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Puberdade - sabe o que é normal?

No passado dia 16 regressei ao programa "Queridas Manhãs" e desta vez o tema de conversa foi a Puberdade.
  • Que mudanças corporais são esperadas nesta etapa?
  • E quais são as diferenças entre rapazes e raparigas?

Estas foram algumas das questões abordadas. 
Se não teve oportunidade de ver, pode fazê-lo clicando aqui.

terça-feira, 13 de junho de 2017

As crianças e os animais de estimação

A decisão de escolher um animal de estimação quando se tem um bebé ou uma criança em casa nem sempre é fácil e coloca, geralmente, muitas dúvidas aos pais.
Serão mais os prós ou os contras dessa relação?
Foi esse o tema da minha participação no último "Filhos e Cadilhos" do Porto Canal.
Se não viu, pode fazê-lo clicando aqui.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Afinal, o que é uma virose?

Este não é um tema novo neste blogue, mas é, sem dúvida, uma das maiores dores de cabeça para a maioria dos pai.
Por esse motivo decidi escrever sobre ele na Revista Saúda. Se não teve oportunidade de ler o artigo, pode fazê-lo clicando aqui.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

A primeira ida à praia

Com a chegada do Verão surgem também as dúvidas acerca da exposição solar das crianças.
Sabe a partir de que idade é que os bebés podem ir à praia?
Foi esse o tema que escolhi para o meu artigo deste mês da revista Saúda. Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

O pai faz falta

O papel dos pais na educação dos filhos é cada vez mais um assunto de debate e torna-se importante tentar perceber o que é que sabe actualmente sobre ele.
Por esse motivo, aqui fica a minha reflexão sobre o tema, que escrevi para a Revista Saúda. 
Se não o leu pode fazê-lo clicando aqui.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Chupeta - amiga ou inimiga?

Apesar da chupeta ser um objecto classicamente associado à imagem do bebé, nos últimos tempos tem-se assistido a alguma controvérsia sobre a sua utilização. Será que é benéfico ou prejudicial deixar um bebé usar chupeta?
Foi esse o tema que eu escolhi para o meu artigo deste mês do site da revista Visao.
Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Obesidade infantil

No último programa "Filhos e Cadilhos" do Porto Canal onde estive presente, estivemos a falar sobre obesidade infantil e de que forma podemos tentar prevenir a tendência actual de ver cada vez mais crianças com excesso de peso.
Se não viu, pode fazê-lo clicando aqui.

domingo, 28 de maio de 2017

O que fazer quando uma criança começa a dizer palavrões?

Não existe uma resposta universal a esta questão, até porque é uma situação que pode ser encarada de forma diferente consoante a família em causa. Para algumas será um problema, mas para outras até pode ser algo normal. No entanto, para quem considera algo desagradável e a evitar, aqui ficam alguns conselhos.
A melhor forma de lidar com um comportamento errado de uma criança é ignorar esse mesmo comportamento. Sempre que se elogia ou corrige está-se a dar importância e isso pode ser percebido como algo positivo. Claro que há alguns comportamentos que não são minimamente aceitáveis e esses têm mesmo que ser corrigidos, mas em grande parte das vezes a solução pode ser outra.

Se uma criança diz palavrões só para "testar" os pais, porque sabe que é errado, a melhor solução é fazer de conta que não aconteceu. Assim, ela não se vai sentir recompensada por essa atitude e vai tentar arranjar outra forma de os "activar". No entanto, se utiliza esse tipo de linguagem de forma intencional e repetida, tem que ser chamada à atenção, mostrando que é um comportamento que os pais reprovam. Geralmente as crianças percebem e, com maior ou menor dificuldade, acabam por aceitar. É importante que essa conversa seja coerente e que os pais se mostrem genuinamente incomodados com a situação, o que nem sempre é fácil. Muitas vezes (particularmente quando é "novidade"), os adultos acham alguma piada à situação e acabam por se rir. Claro que isto vai ser percebido pela criança como um reforço positivo e ela vai repetir enquanto se sentir assim. Por esse motivo, mesmo que tenha vontade de esboçar um sorriso, tente mostrar uma cara coincidente com o que está a dizer, porque senão a probabilidade de sucesso é muito reduzida.

Por fim, importa também reforçar a ideia de que as crianças só aprendem o que lhes ensinam ou então o que vêem e ouvem. Assim, o melhor conselho é mesmo dar um bom exemplo aos seus filhos, porque eles vão aprender tudo consigo. Com o crescimento deles, rapidamente se vai rever na forma que eles têm de andar, de se expressar, de falar e de resolver problemas... Claro que também aprendem com as outras pessoas, mas não há dúvida de que os principais modelos são sempre os pais e isso é uma responsabilidade que tem que ser assumida sempre, sem excepção!

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Não deixe para amanhã o que o bebé pode comer já

É fundamental os bebés habituarem-se a aceitar sabores, cores e texturas, mas é também importante saber como prevenir possíveis alergias e intolerâncias alimentares.
Foi por esse motivo que escolhi esse tema para o meu texto da Revista Saúda. Se não teve oportunidade de o ler, pode fazê-lo clicando aqui.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Colo precioso

Numa altura em que se discute cada vez mais o papel dos avós na educação dos netos, faz sentido pensar um pouco sobre o assunto.
Esse foi um dos temas que eu escolhi para o meu texto mensal da Revista Saúda, da Associação Nacional de Farmácias, pelo que se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Se uma mãe que amamenta comer feijões, o bebé vai ficar com cólicas - mito ou realidade?

Mito!
Está actualmente bem estabelecido que as mães que amamentam podem e devem comer de tudo. Aliás, são essas as recomendações da Sociedade Portuguesa de Pediatria e da Sociedade Europeia de Nutrição Pediátrica. Se uma das vantagens do leite materno é ser um alimento "dinâmico", que vai variando o seu sabor consoante a alimentação da mãe, é um contra-senso defender uma alimentação materna monótona e pouco diversificada.
Por outro lado, o conceito de que "o que provoca cólicas à mãe também provoca cólicas ao bebé" nem sequer faz sentido do ponto de vista teórico. Os alimentos como o feijão e os legumes verdes aumentam a produção de gás a nível do intestino e podem causar até algum desconforto, porque possuem muitas fibras que não são absorvidas. Assim, se não são absorvidas é impossível passarem para o leite materno e, muito menos, provocar algum tipo de desconforto ao bebé.

Trata-se de um mito que foi sobrevivendo ao efeito dos tempos, mas que não tem fundamento, pelo que é importante desconstruí-lo e zelar pela "liberdade alimentar" das mães que amamentam.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

5 milhões e meio de visitas!

Ontem ultrapassámos os 5 milhões e meio de visitas!
É um número astronómico, tendo em conta que há cerca de três anos tínhamos acabado de chegar às 750 mil.
A todos quantos contribuíram e contribuem para este crescimento, aqui fica o meu MUITO OBRIGADO!
Continuemos, rumo aos 6 milhões...

quinta-feira, 11 de maio de 2017

As crianças e a espiritualidade

Este é um tema muito pouco consensual e para o qual não existem propriamente "recomendações". No entanto, faz sentido pensar nele, para perceber de que forma podemos retirar os aspectos positivos que a religião pode ter para oferecer.
Foi esse o propósito que me levou a escrever sobre esse tema para a Revista Saúda.
Se não leu o artigo, pode fazê-lo clicando aqui.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Pintarolas

A varicela é das doenças infecciosas mais frequentes em Pediatria e todos os pais devem ter um conhecimento mínimo sobre ela.
Foi esse o propósito que me levou a escolher esse assunto para um dos meus textos na Revista Saúda. Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

domingo, 7 de maio de 2017

Qual é a idade ideal para entrar para a Escola Primária?

Nesta altura do ano, esta é uma dúvida que preocupa muito grande parte dos pais. A entrada para a Escola Primária é um marco importante no crescimento e desenvolvimento de todas as crianças, pelo que é fundamental tentar perceber o que é que os estudos dizem sobre esse assunto.
Foi esse o motivo que me levou a escolher este tema para o meu texto deste mês do site da revista Visão.
Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

A educadora do meu filho acha que ele tem capacidades acima da média - o que devo fazer?

Em princípio não deve fazer nada...
É verdade que as crianças não têm todas as mesmas capacidades, mas isso não significa obrigatoriamente um problema. O mais importante é perceber se a criança é "funcional", ou seja, se está bem adaptada aos contextos onde se insere. Se estiver bem em casa, na escola e nas actividades que frequenta, não faz sentido estar a fazer nenhum tipo de avaliação ou orientação diferente. Claro que essas crianças são mais "exigentes" e vão colocar alguns desafios à educadora, mas se o seu empenho e comportamento for adequado, bem como a sua interacção com as outras crianças, significa que não é um problema. E se não é um problema, não é preciso fazer nada.
No entanto, se a criança estiver mal adaptada, seja em termos de motivação ou então da relação com os outros meninos, pode fazer algum sentido fazer uma avaliação cognitiva (geralmente realizada por um psicólogo). Nela vai-se perceber quais as áreas mais "fortes" da criança, o que pode ajudar a delinear estratégias que aumentem a sua motivação e pode também ser importante trabalhar com ela algumas questões da interacção social. No entanto, volto a reforçar a ideia de que isso é algo que se justifica apenas numa minoria de casos, quando a criança não é "funcional".
Nos outros deve-se apenas deixar a criança ser feliz, é o seu principal Direito e o nosso principal Dever enquanto cuidadores...

sábado, 29 de abril de 2017

Amamentação e cólicas

Estes são dois temas que criam muitas dúvidas e insegurança aos pais.
E, se em relação ao primeiro as certezas científicas são muitas, já em relação ao segundo não é bem assim.
Na semana passada estive, como habitualmente, no programa "Filhos e Cadilhos" do Porto Canal e foram estes os temas de conversa.
Se não o viu, pode fazê-lo clicando aqui.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Amanhã no "Filhos e Cadilhos"

Amanhã volta a haver "Filhos e Cadilhos no Porto Canal e, desta vez, vamos falar sobre um tema bem actual: as vacinas e alguns dos seus mitos e também sobre o sarampo.
Não perca, amanhã a partir das 11:00!


domingo, 23 de abril de 2017

O meu filho transpira muito pela cabeça - será normal?

Em princípio sim!
As crianças e bebés têm uma cabeça proporcionalmente grande em relação ao resto do corpo e isso é mais evidente quanto mais nova ela for. É por esse motivo que os bebés podem perder até 30% do calor corporal apenas pela cabeça.
As células das crianças trabalham mais depressa do que as dos adultos e, como consequência disso, produzem mais calor, o que faz com que elas transpirem também mais. Como uma das partes do corpo que tem maior área exposta é a cabeça, está vai funcionar como um local de regulação da temperatura corporal, sendo um dos locais onde é mais visível a transpiração (até porque o resto do corpo está, geralmente, coberto).
Outros locais onde é habitual notar-se uma maior transpiração nos bebés e crianças é nas mãos e nos pés, o que também é perfeitamente normal. 
No entanto, há alguns casos (raros!), em que a transpiração excessiva pode ter algum significado, pelo que se é algo que lhe parece "anormal" deve questionar o seu médico sobre isso. Na esmagadora maioria dos casos não terá nenhum significado, mas é preferível esclarecer se é algo normal ou se justifica algum tipo de preocupação. Ficar com dúvidas é sempre a pior opção...

terça-feira, 11 de abril de 2017

Mas afinal o que é uma gastrenterite?

As gastrenterites são extremamente comuns em crianças e, por esse motivo, é importante saber o que são e como se podem orientar.
Foi esse o tema que escolhi para o meu artigo deste mês do site da revista Visão. Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

quarta-feira, 22 de março de 2017

O sono das crianças

No passado dia 18 estive no Porto Canal, na estreia do "Filhos e Cadilhos", um programa inteiramente dedicado a todas as pessoas que lidam com crianças.
O tema escolhido foi "O Sono" e foi uma conversa muito interessante, com a apresentadora Mariana D'Orey. 
Se não teve oportunidade de ver, pode fazê-lo clicando aqui.

sábado, 18 de março de 2017

5 truques para saber como valorizar a dor de barriga nas crianças

A dor de barriga é um sintoma muito comum em Pediatria, mas nem sempre é fácil de valorizar e avaliar.
Foi esse o tema que escolhi para o meu artigo deste mês do site da revista Visão, pelo que se não o leu pode fazê-lo clicando aqui.

quarta-feira, 8 de março de 2017

10 razões para limitar a exposição dos menores de 12 anos a telemóveis, tablets e afins

No início deste mês colaborei com o site da revista Visão na elaboração de um artigo sobre o uso de novas tecnologias em crianças. É um tema eximiamente actual é que merece uns minutos de reflexão, de forma a que se possam tomas ar melhores decisões e fazer as escolhas certas.
Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

segunda-feira, 6 de março de 2017

5.000.000!

Ontem ultrapassámos os 5.000.000 de visitas!
Muito obrigado a todos os que contribuíram e contribuem para este número fantástico!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Pediatras contra os dispositivos eletrónicos para vigiar a saúde dos bebés

A tecnologia traz muitos avanços ao nosso dia-a-dia, mas por vezes pode ser mais um problema do que uma solução.
No início do mês de Fevereiro saiu no Diário de Notícias um artigo de opinião sobre alguns dos avanços tecnológicos mais recentes na área da saúde infantil, com o qual eu também colaborei.
Não o leu e ficou curioso? Então pode lê-lo clicando aqui.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Novo livro a caminho!

O ano de 2017 vai trazer algumas novidades e a primeira é já um novo livro, para se juntar ao meu "PEDIATRA PARA TODOS".
Para já o tema central ainda é surpresa, em breve desvendarei qual é. Quer tentar adivinhar?


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Papas e sopas? Há bebés que só comem sólidos e com a mão

Já há algum tempo atrás escrevi um texto sobre o Baby Led Weaning e, no passado mês de Janeiro fui contacto pelo Diário de Notícias para colaborar num artigo sobre esse tema.
Se não o leu pode fazê-lo clicando aqui.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Tudo o que deve saber sobre o transporte de crianças no automóvel

O transporte de crianças no automóvel é um tema central da segurança infantil.
Por esse motivo decidi escolhê-lo para o meu artigo deste mês do site da revista Visão.
Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

18.000 likes!

Atingimos ontem os 18.000 likes na nossa página de facebook.
Já colocou o seu?
Se não o fez, pode fazê-lo clicando aqui.
Continuemos, rumo aos 20.000!


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

No dia 16 vou estar no Porto Canal

Na próxima quinta-feira (dia 16) vou estar no programa "Consultório" no Porto Canal, entre as 16:00 e as 17:00.
Vou ter o prazer da companhia da Magda Gomes Dias, do blogue Mum's the Boss e vamos discutir um tema que muito preocupa os pais, as famosas BIRRAS.
Não perca!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Quatro mil crianças não são vacinadas anualmente em Portugal

No passado mês fui contactado pelo Diário de Notícias, para colaborar num artigo com o título: "Quatro mil crianças não são vacinadas anualmente em Portugal".
Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

As mães não imunes à toxoplasmose que amamentam precisam de ter algum cuidado especial?

Não!
A toxoplasmose é uma doença que pode ser grave se afectar um feto em desenvolvimento e é por essa razão que as grávidas não imunes devem ter cuidados alimentares especiais. O objectivo é não apanhar a doença para não a "transmitir" ao feto e esse é o motivo que justifica que se deve evitar o contacto com gatos e o consumo de alimentos que cresçam junto à terra e que não estejam devidamente lavados.
No entanto, é uma doença "benigna" e sem gravidade significativa quando contraída no período pós-natal, pelo que após o nascimento já não é preciso nenhum cuidado particular. Isto é válido para todas as idades incluindo também, como é lógico, as mães que amamentam.
Assim, se não é imune à toxoplasmose e esteve sujeita a algumas privações durante a gravidez, pode "vingar-se" após o nascimento e comer sem as restrições que teve anteriormente. Aproveite...

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Bronquiolites - elas andam aí...

As bronquiolites são infecções muito comuns nesta altura do ano e, por esse motivo, decidi escrever sobre elas no meu artigo deste mês do site da revista Visão.
Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Doenças que vêm com o frio

Ontem estive no programa Queridas Manhãs da SIC e a conversa foi sobre as doenças que vêm com o frio.
Se não viu pode fazê-lo clicando aqui.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Amanhã regresso à SIC

Amanhã regresso às Queridas Manhãs da SIC, na rubrica "Querida Saúde".
Desta vez vamos falar sobre doenças que vêm com o frio, portanto não perca!

sábado, 7 de janeiro de 2017

Pedido de divulgação

O facebook impõe um limite máximo de 5000 amigos, pelo que tenho neste momento muitos pedidos de amizade aos quais não consigo responder. 
Por esse motivo, tenho também uma página específica do meu blogue "Pediatria para todos" (pode consultá-la clicando aqui), cujos conteúdos são em tudo iguais aos da minha página e que permite a todos os interessados seguir as novidades do blogue.
Basta colocar um like e fica a saber tudo em primeira mão.
Agradecia uma ajuda na partilha desta informação, para tentar chegar a todos os que têm pedidos de amizade pendentes, pois não consigo mesmo aceitá-los, uma vez que o facebook não deixa.
Obrigado!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Falar com crianças sobre temas difíceis

Este é um tema que veio recentemente à discussão, após ter sido aprovada a abordagem de temas como o aborto nos conteúdos programáticos do 5º ano.
Mas será esta a idade adequada para se falar sobre esses e outros assuntos?
No fim de Dezembro saiu um artigo sobre esta temática no Diário de Notícias, no qual também colaborei. Se não o leu pode fazê-lo clicando aqui.

Televisão no quarto? Não, obrigado!

Este é um tema controverso e, por esse motivo, decidi escolhê-lo para o meu texto mensal do site da revista Visão.
Se não o leu, pode fazê-lo clicando aqui.